jusbrasil.com.br
15 de Setembro de 2019

Perícia psicológica nas ações de alienação parental e comportamentos contraditórios

Lelyan Guimarães Amancio, Advogado
mês passado

Sabe aquela situação onde a mãe (ou pai) diz pra todo mundo que quer que o filho conviva com o pai, diz que não fala mal dele, mas faz cara feia, monstra-se irritadiça, briga e cria problemas e todo tipo de mal estar no dia da "visita" (Pai não é visita!), quase sempre na frente do filho?

Alienao parental


Esse tipo de comportamento contraditório confunde a cabeça da criança e é nociva para a formação e continuidade dos laços afetivos, pois no longo prazo a criança tende a entender a mensagem sutilmente transmitida (geralmente pelo genitor guardião, mas não apenas), de que não pode gostar do pai, pois a mãe não quer ou se recente se eles convivem.

Essa dinâmica comportamental deve, ser registrada e levada ao conhecimento do juiz e apontada para o perito a fim de que ele avalie a conexão entre o comportamento contraditório demonstrado e eventuais prejuízos para a relação pai e filho (as).

Existe uma máxima jurídica que diz que o que não está no processo não existe e por isso, a falta de prova do comportamento contraditório, por exemplo, inviabiliza frequentemente um resultado satisfatório da perícia.

Orientação inadequada ou insuficiente, ou mesmo esperar tempo demais antes de começar a agir, contribuem negativamente para o obtenção dessas provas e a falta delas, especialmente por tratar-se em geral questões muito sutis quem não são percebidas facilmente coloca o pai, vítima de alienação parental ou na condição de dependente de espécie de "confissão de culpa" do (a) alienador (a), ou da sorte de, em meio a dissimulação e fingimento, o psicólogo perito perceber o ato alienador implícito.

Estratégia desde e primeiros sinais, se possível em conjunto com um assistente técnico podem ser determinantes para o resultado da perícia psicologica e por conseguinte do processo.

6 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

aproveitando e fazendo uma propagandazinha..... continuar lendo

Propagandazinha do quê? E se houver, propagandazinha qual o problema? continuar lendo

Somente propaganda... continuar lendo

Parabéns doutora pelo sua visão.
Ao longo dos anos tenho sofrido isso e nenhum dos seus colegas tinham essa visão, isso me causou grandes transtorno.
Mais uma vez, parabéns pela matéria. continuar lendo

Obrigada. O objetivo é mesmo esclarecer e trazer ao conhecimento de partes por colegas que aqui pesquisam algumas nuances, que já vi muitas vezes ser negligenciada, principalmente a sutileza das práticas envolvidas nesse tipo de processo ...Seu caso não é raro, infelizmente. continuar lendo

Parabéns Doutora, essa prática é corriqueira do detentor da guarda, e deve ser denunciada o quanto antes, visando preservar sobretudo a integridade emocional da criança/adolescente, a maior vítima! continuar lendo